Qual seleção leva o título mundial de volei feminino 2010 ?

domingo, 17 de outubro de 2010

Conheça a equipe que disputará o campenato mundial

José Roberto Guimarães único técnico do mundo campeão olímpico com as seleções masculinas e femininas, sofreu para escolher as 14 jogadoras que vão para o mundial de 2010. A saída da levantadora Fofão considerada por muitos a melhor levantadora da história do voleibol nacional, e a da então reserva Carol Albuquerque após os jogos olímpicos, foram as maiores perdas para esse novo ciclo que começou em 2009. As convocadas foram Danielle Rodrigues Lins (Dani Lins) e Josefa Fabíola Souza (Fabíola), a primeira está na seleção desde 2009, teve a difícil tarefa de substituir Fofão e vem sendo usada como titular em praticamente todas as partidas do Brasil, já Fabíola, vinha se revezando na reserva com Ana Tieme, mas sua boa fase, e suas boas atuações no Grand Prix, inclusive jogando algumas partidas como titular, á confirmou para esse mundial.
Se tratando de Ponteiras o Brasil sofreu duas gravíssima perdas. Com o rompimento toal do cruzamento do joelho esquerdo, Mari está fora das quadras por no mínimo 6 meses, a atleta vinha sendo titular em todas as partidas da seleção. A atleta se machucou na vitória do Brasil sobre a Polônia, na fase final do Grand prix em agosto, sem essa peça fundamental, Zé Roberto chamou para ser sua substituta Fernanda Garay, jogadora que atuou pelo Pinheiros na última temporada.Paula Pequeno que tambem se machucou no grand prix,está fora do mundial. As ponteiras convocadas foram:
Jaqueline: Atualmente no SOLLYS OSASCO, Jaqueline fez uma excelente temporada 2009/2010, ajudando sua equipe a conquistar o campeonato nacional. Na seleção, não vinha ganhando muito destaque. Após ser barrada dos jogos Pan-americanos do Rio Por doping, a atleta voltou à seleção em 2008, atuou pouco na campanha que levou o Brasil ao inédito ouro olímpico, em 2009 com a ausência da Ponteira Paula Pequeno, Jaqueline voltou a ser titular pela seleção, vencendo o Grand Prix do mesmo ano, 2010 também atuou em todos os jogos importantes da seleção, e já se tornou peça fundamental para o mundial.

Fernanda Garay: Em sua última temporada pelo PINHEIROS, Fernanda era a principal jogadora de sua equipe que terminou a Superliga na 4ª colocação. Atuou poucas vezes com a camisa verde e amarela, mas ganhou status no voleibol nacional, com sua agilidade e força. Na próxima temporada pode atuar no Japão, e é a grande revelação dessa lista, Garay foi convocada pela ausência das ponteiras Mari, que é desfalque garantido, seu nome consta na lista do mundial, mas suas chances de participar da competição são nulas.

Paula Renata Marques Pequeno (Paula Pequeno): Eleita a melhor jogadora do mundo duas vezes (2005/2008), a atleta fraturou o tornozelo esquerdo na derrota do Brasil para os EUA no Grand Prix, após uma série de exames que a liberaram de uma possível cirurgia. Seu histórico de contusões é extenso, porém a principal perda de todas ocorreu no ano de 2004, quando Paula foi cortada das olimpíadas de Atenas por uma gravíssima torção no joelho, onde vários ligamentos foram rompidos. Infelizmente na ultima quinta feira, José Roberto Guimarães, Confirma que Paula não disputará o mundial.

Wélissa de Souza Gonzaga (Sassá): A baixinha de 1,80m compõe a seleção brasileira há anos, Sassá geralmente começa os jogos no banco, mas é muito usada pelo técnico José Roberto, principalmente para sacar. É convocada com freqüência desde 2004, esteve presente nas olimpíadas de Atenas, e no mundial do Japão de 2006, é uma jogadora de grande impulso, e decisivas nas horas importantes. Atualmente joga na equipe do SOLLYS OSASCO, e ajudou na conquista da Superliga na ultima temporada.

Natália Zilio Pereira (Natália): Umas das maiores revelações da historia do voleibol nacional, Natália vem como o “Coringa” dessa seleção brasileira. Começou sua carreira jogando na Associação Joaçabense de Voleibol, e em 2004 já fazia parte da seleção brasileira infanto juvenil, onde venceu um campeonato mundial. Com atuações históricas pelo SOLLYS OSASCO, chegou a fazer 31 pontos na final da superliga 2008/2009, na qual se sagrou vice-campeã, Natália logo foi vista com bons olhos por todos amantes do vôlei, e com Zé Roberto não foi diferente. Uma impulsão espetacular, uma força incrível e uma visão de jogo invejável, a atleta de origem humilde ganhou reconhecimento e status, e hoje é a principal jogadora da equipe de Osasco, na qual defende á anos. Na sua relação para a lista do mundial, Natália não teve a definição certa de sua posição, pois a atacante além de tudo, joga como Ponteira passadora e como oposta. Sem Mari, e Paula, Natália terá uma grande oportunidade de jogar o mundial como titular.

As opostas:
Sheilla Tavares de Castro (Sheilla): Mais uma posição em que o Brasil mantem sua tradição com excelentes jogadoras, e a Sheilla representa bem isso. Nascida em Belo Horizonte, a mineira começou nova no esporte, seu primeiro grande clube foi o Mackenzie E.C., a jogadora que defendeu a seleção de Minas durante anos,  hoje é destaque do voleibol mundial. A atleta de 27 anos é uma das jogadoras mais convocada por José Roberto Guimarães, participou de quase todas as conquistas da seleção nos últimos seis anos, atualmente fechou contrato com o UNILEVER, e defenderá a equipe carioca na próxima temporada. Sheilla vai para seu segundo mundial, participou da campanha de prata de 2006 e é ela quem costuma decidir jogos importantes, além de muita força no seu ataque, a mineira se destaca com largadas espetaculares.



Joyce Gomes da Silva (Joycinha): A promessa que se tornou realidade, Joycinha que defendeu o UNILEVER na ultima temporada, e vai defender o VOLEI FUTURO nesse ano. A oposta que foi o destaque da equipe carioca na final da última Superliga, tem sido convocada com frequência para jogos da seleção. Com boas atuações Joyce vai compor a equipe que viaja para o japão em busca do título inédito. Dentre suas varias qualidades, vale destacar sua excelente visão de jogo.



Centrais:
Adenízia Ferreira da Silva (Adenízia): Carinhosamente chamada de Adê pela Torcida de Osasco, Adenízia é a jogadora que menos atuou com a camisa da seleção, sua chegada ao time que vai defender o Brasil no mundial, foi difícil, pois a concorrência era grande, mas a atleta que atua pelo SOLLYS OSASCO, teve sua participação confirmada no campeonato. Adenízia, com 1,97m é a rainha dos Bloqueios, pelo clube ja ganhou vários titulos, inclusive o nacional conquistado na ultima temporada. Torcedora do Cruzeiro, a atleta tem grandes chances de atuar em jogos do mundial.

Caroline de Oliveira Saad Gattaz ( Carol Gattaz): Nascida em São josé do Rio Preto, interior de São Paulo, começou jogando no automovel Clube ainda em Rio Preto, seu primeiro grande clube foi o FINASA OSASCO hoje conhecido como SOLLYS OSASCO, conquistou varios titulos vestindo a camisa do time paulista, atualmente joga no rival, UNILEVER. Com a seleção Carol venceu três Grand prix, e participou do último mundial, chegou a ficar afastada por algum tempo, mas voltou a ser convocada com frequencia, boas atuações em seu clube e correspondendo na seleção, Carol vai para o mundial como reserva, mas espera por uma oportunidade na competição para ajudar a equipe.

Fabiana Marcelino Claudino (Fabiana): Premiada como melhor atacante do mundo, no último mundial, a meio-de-rede Fabiana que defendeu apenas dois clubes em sua vida: MRV MINAS e UNILEVER, fechou contrato para a próxima temporada com o VOLEI FUTURO. Conquistou inúmeros, títulos com a seleção, e clubes, como destaque: Tetra campeã da Superliga e o ouro olímpico em 2008. Com 1,95m, a atleta é uma das mais altas da equipe, a Jogadora sempre obteve excelentes resultados vestindo a camiseta da seleção, e atua como titular em varias competições, Fabiana é mais uma jogadora de confiança do técnico José Roberto Guimarães.

Thaísa Daher de Menezes ( Thaísa): A carioca de 1.96m, é a jogadora mais alta da equipe. Central de qualidade, não demorou para Thaisa “estourar” no mundo do volei, começou a jogar aos 13 anos no Tijuca Tênis Clube, por causa de sua grande estatura física, passou pelo time do MINAS e UNILEVER, onde foi Tricampeã da superliga, trocou o UNILEVER pelo rival SOLLYS OSASCO, onde ja conquistou mais um campeonato nacional para sua coleção. Thaísa vai participar do seu primeiro mundial adulto, mas estava no time Juvenil campeão em 2005, sua primera convocação foi em 2007, onde fez uma excelente Superliga, dai em diante, não parou de ser convocada. É campeã olimpica, além de bloquio e ataque, Thaisa tem como trunfo levantar, qualquer dificuldade no passe ou alguma emergência, ela se torna a levantadora do time.Thaísa deve ser titular no mundial.

LÍBEROS:
Fabiana Alvim de Oliveira (Fabí): A Pequena notável do Brasil tem todas as qualidades que um líbero precisa ter: É ágil, atenta, tem espírito de equipe, raça e determinação. Não é á toa que a atleta mais velha da seleção com 30 anos, teve o mérito de ser escolhida por especialistas a melhor líbero do mundo. Fabí que também começou cedo no esporte, destacou-se defendendo a equipe do UNILEVER, com defesas espetaculares e um passe preciso, Fabí tem como principal característica não desistir de nenhuma bola. Atua pela seleção há anos, é campeã olímpica, participou do ultimo mundial, é a jogadora mais experiente do grupo.

Camila de Paula Brait (Camila Brait): A jovem revelação que defende a camisa do SOLLYS OSASCO vem para sua primeira grande competição. Convocada desde 2009 Camila Brait apareceu no vôlei jovem, já em 2007 disputou com a seleção infanto, o campeonato mundial juvenil. Pelo clube Camila é a libero titular, e foi fundamental para a conquista da Superliga 2009/2010.

Equipe técnica:
Técnico: José Roberto Guimarães (Zé Roberto): O ex-levantador, que atuou por vários clubes brasileiros e inclusive atuou na Itália, começou a treinar equipes masculinas em 1992, assumiu seu primeiro time feminino em 2000 (OSASCO) e daí em diante não parou mais, revolucionou a seleção nacional já em 2003 após o fiasco do mundial de 2002. Zé Roberto como gosta de ser chamado, é reconhecido no mundo inteiro por um feito inédito: é campeão olímpico com as duas seleções de seu país: com a seleção masculina (1992) e com a seleção feminina (2008). Com um jeito inovador de comandar, Zé mistura: conhecimento, calma, integridade e acima de tudo compromisso com a seleção. O técnico já trouxe muitas alegrias ao esporte nacional, e é considerado não apenas um excelente técnico de vôlei, Zé Roberto é considerado um craque em esportes coletivos. Assim como a sua irrepreensível campanha nas olimpíadas de Pequim 2008 e depois ter ficado com o vice-campeonato mundial em 2006 o técnico espera conseguir o tão almejado titulo para casa. Zé conta com atletas de altíssimo nível e uma comissão técnica comprometida e respeitável.
Assistente técnico: Cláudio Lopes Pinheiro
Assistente técnico: Paulo do Rego Barros Junior
Supervisor: Leonardo Moraes
Médico: Júlio César Carvalho Nardelli
Preparador Físico: José Elias de Proença
Fisioterapeuta: José Ricardo Prunes Regi
Estatística: Marco Antonio Di Bonifácio

REFERÊNCIAS:












Nenhum comentário:

Postar um comentário